segunda-feira, 31 de outubro de 2011
Tumblr_lh2wxfgwzr1qg1oico1_500_large

Você decide como quer caminhar, que passo seguir e para onde vai. Você é responsável pelas escolhas que faz porque mesmo que alguém te influencie a algo, a decisão final sempre será sua. A partir de quando começa a ter responsabilidades, o controle da sua vida deve ficar na sua mão. Cada passo dado é importante, e, mais importante do que o lugar aonde pretende chegar é os lugares aonde pisou ou aonde pretende pisar.

Ás vezes a gente pisa em falso, mas a vida não veio com manual de instruções e destino certo.
terça-feira, 18 de outubro de 2011
1195523-10-1318517543974_large

Não é novidade para quem mora em Manaus saber que o preço da passagem de ônibus irá aumentar (se já não aumentou) de 2,25$ para 2,75$ sob os mesmos argumentos de que falta dinheiro para asfaltar as ruas e oferecer uma melhoria no sistema de transportes públicos de Manaus. Quem me acompanha de perto, sabe o quanto eu tenho comentado sobre isso já que não acho justo pois nossos impostos são altos e a qualidade no sistema de transporte público é pessima há tempos já que tem muito ônibus cacareco rodando a cidade a mais de 10 anos tendo apenas a pintura renovada.

Como sempre, muita gente não faz nada além de reclamar e espera que somente os estudantes da cidade reivindiquem pela tarifa anterior, já que quando esse tipo de coisa acontece somente nós, os estudantes, vamos às ruas reclamar por melhorias e pedir que o preço se mantenha estável.

Tendo como base isso, o que mais me chamou a atenção foi a parte de cima disso tudo que muitas das vezes acaba sendo esquecida. Os governantes/presidentes/senadores fazem tudo isso porque foram eleitos pela população de uma forma democrática, pois o voto no Brasil é secreto e obrigatório.

Durante a campanha eleitoral de 2010 haviam vários comerciais na Tv que falavam da importância do voto e de saber escolher bem aos seus candidatos, uns mais criativos que outros até. Eles repetiam muito com o intuito de entrar na cabeça do eleitor dizendo "escolha bem aos seus candidatos pois eles vão ficar no poder por 4 anos".

É um direito seu escolher em quem votar e ninguém pode tirar isso. Quero atentar para o fato do voto em branco, que,  do meu ponto de vista (diga-se), significa que você está deixando outras pessoas escolherem os candidatos por você. Abrindo mão de uma coisa que foi conquistada com muita luta pelos nossos antepassados. Mesma coisa quando você "vende" o seu voto, quem garante que o candidato que te paga pra votar nele irá fazer tudo aquilo que ele promete nas campanhas?

Há um argumento que todo mundo usa que é o de que todo candidato promete as mesmas coisas quando na verdade quer embolsar um dinheiro depois de eleito. Isso acontece porque eles irão lidar com finanças e, como estamos acostumados a ver escândalos na tv, achamos que os próximos farão o mesmo. Existem candidatos bons, que querem alguma coisa com a população. Se você ainda assim achar que todos são ruins, escolha pelo "menos pior", o que irá causar menos estragos e mais ação. Fora que, há alguns candidatos no poder que já são "figurinhas repetidas" em nosso cenário, pessoas que já estiveram ou estão no poder mais de uma vez independente de tantos escândalos que ecoam na tv mas que em época de eleição aparecem com uma cara de pau incrível dizendo que irão lutar contra a corrupção.

Nas próximas eleições procure escolher candidatos que tenham compromisso com a sociedade, seu voto é importante e a opção de escolha é somente sua, de direito. Lute pelos seus direitos e não se cale diante da impunidade, pois o mal prevalece quando os bons nada fazem.
segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Editora Globo
Ainda da série: "Coisas que encontro pela internet"

Ouvir palestras de pessoas bem-sucedidas não vai trazer nada de útil para o seu dia a dia

por Cass Phillips

O fracasso é inevitável, enquanto o sucesso só acontece de vez em quando. Então, por que continuamos tentando aprender apenas a partir de experiências bem-sucedidas? Em todas as conferências para empreendedores, você escuta palestrantes se vangloriando dos passos certeiros que deram. Mas será que isso é realmente útil? As palestras podem ser inspiradoras mas, na maioria das vezes, você não consegue replicar aquela experiência, já que há diversos fatores diferentes do que você tem na vida real. Se quisermos aprender algo útil, precisamos — em vez de escutar as histórias onde tudo deu certo — ouvir os fracassos retumbantes e dar voz às pessoas que fizeram tudo errado.

Primeiro, porque dentro do sucesso há uma boa parcela de sorte. Já o fracasso está mais relacionado com as escolhas que você realmente tem de fazer a cada dia. Uma boa parte do sucesso se deve a pessoas que você conheceu, um determinado momento propício do mercado ou a uma série de fatores que não se repete. Já as falhas sempre estarão presentes em algum ponto do seu caminho, mesmo em empreendimentos bem-sucedidos. Quando você se depara com elas, é importante saber como outras pessoas se recuperaram rapidamente depois de errar feio. Minha experiência de fracasso numa start-up me ensinou que, para corrigir erros, precisamos fazer pequenas modificações rápidas em vez de mudar todo o projeto. Se mudarmos tudo, é impossível saber exatamente o que foi feito corretamente.

Um exemplo de como lidar com as falhas vem da empreendedora Janice Fraser. Depois de fundar uma start-up bem-sucedida, ela começou uma segunda companhia, a Emmet Labs. Mesmo com muito investimento e atraindo alguns clientes, a ideia deu errado. Na época, ela escreveu um e-mail para os investidores reconhecendo os erros (inclusive os que foram de seus funcionários, pois foi ela quem os contratou) e citando as lições que aprendeu. Cada um dos investidores respondeu que voltaria a financiar uma nova start-up de Janice. A partir daí ela abriu uma nova empresa — que deu certo —, a LUXr. Essa atitude pode inspirar muitos a sair do limbo, e cada empreendedor que falhou tem uma lição para ensinar.


.Editora Globo
Além das lições de como se virar frente ao fracasso, ouvir como tudo deu errado para alguém pode ser encorajador. Veja o exemplo de Mark Levchin, que teve 4 start-ups falidas e ficou com o nome sujo antes de se tornar um dos fundadores do Pay-Pal. Quando você se depara com histórias como a dele e vê que dá para se recuperar (o Pay-Pal foi vendido por US$ 1,5 bilhão ao Ebay), há sempre mais esperança de que as coisas melhorem.

Por mais paradoxal que pareça, a ideia de aprender com o fracasso tem sido bem-sucedida. A conferência dos fracassados está no nosso terceiro ano em San Francisco, temos uma edição programada para Paris e contatos para trazer a ideia ao Chile, Brasil e Cingapura.n

Cass Phillips é produtora-executiva da FailCon, conferência em San Francisco em que empreendedores falidos dividem suas experiências.
domingo, 2 de outubro de 2011
0_large

Eu sempre achei que a sinceridade me deixasse transparente diante das pessoas, como se elas pudessem ver através de mim...

Cada um tem o seu jeito de ser, este aqui é o meu.

Ser sincero (para mim) não significa espalhar o caos por aí, falando o que lhe vem à cabeça, magoando as pessoas e os seus sentimentos sem se preocupar com as consequências, sem pensar 2, 3,4 vezes. Não significa ser um dedo-duro que aponta para o erro das pessoas, fala o que há de errado nelas e esquece de si mesmo. Esquece que também erra e não se preocupa com a opinhião alheia.

Para mim, ser sincero é meio que "agir nos bastidores", é falar as verdades de uma maneira direta e descontraída, é eliminar um clima de tensão com uma brincadeira, é falar a verdade e às vezes não falar nada.

A idéia de citar nomes (do meu ponto de vista) é uma coisa que deve ser feita em últimos casos, quando uma imagem está sendo denegrida ou um boato está se espalhando através de pessoas desinformadas ou mal intencionadas, mesmo. Quando o negócio tem que ser resolvido frente a frente.


É importante medir as palavras, porque elas doem quando utilizadas de forma errada.Não precisa ser um franco atirador, disparando verdades como uma metralhadora descontrolada sem se preocupar quem irá atingir. Dizer de uma maneira calma e, PRINCIPALMENTE, direta é importante. Há coisas que não precisam ser ditas, apenas demonstradas.


Ser sincero não só com as pessoas mas consigo mesmo também (isso é muito importante). Procurar não machucar as pessoas mas também não se esconder para agradar alguém. Ser quem se é e ter uma posição em relação a algumas coisas. Fazer o que gosta e não ter vergonha de si mesmo (não digo sobre ter um estilo e querer fazer as pessoas "engolirem" o seu jeito, e sim, deixar as pessoas conhecerem um pouco do que você é).

Procurar ser conveniente, não mentir para si mesmo, não querer se iludir, não tentar se enganar. Se observar e se amar, porque não podemos amar às outras pessoas se não gostamos de nós mesmos. Uma pessoa contente consigo mesma consegue atrair pessoas para si, sendo um ímã para coisas boas.


p.s.: É claro que nem sempre a gente acerta, mas a vida taí pra nos ensinar.
Eu já estava triste porque não iria ao show e resolvi que não ligaria a TV nos próximos dias apenas para não ter que ouvir as notícias do Rock In Rio relacionadas ao Coldplay. Fiquei feliz quando soube que o Multishow estava apresentando os shows ao vivo na TV e a minha esperança voltou. Fui atrás do dia em que o Coldplay iria se apresentar e descobri que seria dia 1º de Outubro, justamente no meu mês favorito e no primeiro dia.

Passei a semana cantarolando de felicidade e esperando que a apresentação deles fosse depois das 21h, hora que acaba o expediente. Quando foi ontem eu avisei a todos os meus colegas que não ligassem para as minhas emoções, que eu sou perturbada das idéias e ia passar o dia falando coisas relacionadas às músicas deles e a ansia de chegar logo em casa. Ainda auxiliei o pessoal a terminar o trabalho mais rápido.

Saímos cedo, corri para casa, liguei a tv no volume alto e liguei o computador enquanto esperava o show começar. Minha irmã chegou a dizer "se eu te filmasse e colocasse o vídeo no youtube, eu faria muito dinheiro" de tão eufórica que eu estava.

Vi a playlist do show na internet, músicas novas e músicas antigas. Vi os comentários no Twitter. Gente falando bem, gente falando mal.. Antes eu até me incomodava, até aprender que todo mundo tem uma opinião sobre determinadas coisas que não valem a pena serem questionadas. Há gente que não gosta, há gente que gosta e eu respeito isso.


[Fugindo um pouco ao tema e expressando uma opinião]
Também não gostei muito da Claudia Leitte no Rock In Rio e até entendo o posicionamento das pessoas que foram para lá curtir um som e não uma micareta, não compreendo o fato de ela ter detonado o fato de a Rihana ter se atrasado quando ela mesma já havia se atrasado em shows anteriores (confiram na mesma página o comentário de Renata Oliveira). Vi que a Ivete Sangalo foi show de bola ao lado da Shakira, apesar de serem estilos que não curto, souberam levar o público e arrasar no palco.
[Voltando]

Saí do computador e fui lá ver o show, cantando junto e ouvindo as composições novas. Fiquei feliz em ver que ele pediu desculpas por serem a ultima banda a se apresentar no dia e fazer todo mundo esperar tanto por eles.

Gostei da parte onde eles pararam de tocar e perguntaram se todo mundo estava bem, arranhando um português :)




Preciso falar da homenagem que fizeram à Amy Whinehouse?




Esse dia poderia ter sido melhor, para mim, eu poderia estar lá no show pulando que nem uma doida e cantando até ficar rouca, mas agradeço por tudo. Fui dormir feliz ao ver somente coisas relacionadas ao Coldplay nos Trending Topics, sabia que o dia seria histórico que resolvi até dar print na tela.


Um dia eu sei que vou ver eles de perto e pular e cantar que nem uma doida, mas enquanto esse dia não chega, coloco as músicas no mp3 e admirar o trabalho deles :)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...