sábado, 16 de maio de 2015
(3) The Romantic Stella' s WORLD. | via Facebook

Sempre digo para mim mesma que o dia em que amar alguém como amo meu curso, 
minha vida será completa.

O que mais gosto todos os dias é saber que mesmo andando com pessoas diferentes de mim e com mentalidades diversas, temos uma amizade que toca um ponto tangente: a engenharia
Mesmo que todos falem besteiras, tenham pensamentos que choquem, que sejam esquisitos ou até extravagantes, vamos aprendendo a conviver e buscar maneiras de coexistir.
Apesar de muitos terem um jeito bruto (sério, a engenharia tem esse poder de embrutecer pessoas), em momentos complicados em que alguém pede ajuda, há muita solidariedade vinda, principalmente, de quem menos se espera. Há um abraço apertado, um ombro amigo e até companhia para aulas desencontradas.
Adoro as conversas viajantes, aquelas em que a gente vai descobrindo como a vida funciona (viver é física pura, no lado mecânico da coisa) e, com os colegas, vamos aprendendo mais e mais sobre o que nos cerca, sobre coisas que jamais imaginávamos haver com o campo de estudo (ex: se você usa um machado para cortar o tronco de uma árvore, não importa em que lado você cortou, a tendência da árvore é cair para onde o centro de massa dela for maior)
O curso se divide em vários grupos onde cada grupo tem seu próprio interesse: grupos de gamers, dos que estudam hard, dos que levam o curso com a barriga, dos que jogam dominó, dos zueiros e etc. Cada grupo tem um ponto mas cada integrante intersecciona entre os grupos que gosta.

Apesar de que não seja possível falar com todas as pessoas do curso todos os dias, há um querer bem não dito porém sentido. Um querer bem aos companheiros, um querer bem ao curso.

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...